Shadowhunters – Primeiras impressões

Paulo Silva 02/16/2016

shadow

 

Fala povo! Como vão? Bom, em janeiro estreou pela amada Netflix a série Shadowhunters, baseada nos livros Os instrumentos mortais. Nela, acompanhamos a saga da jovem Clary Fray que, em pleno aniversário, descobre que é de uma antiga linhagem de híbrida de humanos e anjos que caçam demônios. Diante de uma sinopse como esta, alguém que não teve contato com os livros que basearam a série fica bem empolgado. Mas será que a série é tão empolgante assim?

 

Antes de começar minha pequena resenha sobre o show, vale ressaltar que a minha opinião não tem relação alguma com os livros, apenas com o que vi até agora na Netflix.

 

Enredo

 

shadow1

 

Em seu aniversário de 18 anos, Clary Fray, vivida por Katherine McNamara, tem sua vida virada de cabeça pra baixo. Numa única noite ela fala com alguém que ninguém mais conseguia enxergar, entra numa luta contra demônios, tem sua mãe sequestrada e, sobretudo, descobre que vem de uma linhagem antiga de Caçadores de Sombras. A partir daí a menina começa a lidar com um mundo totalmente diferente. Contando com a ajuda do esquisito Caçador de Sombras Jace Wayland, Clary precisa se adaptar ao mundo que agora está inserida enquanto tenta salvar sua mãe.

 

O que dizer do enredo? 

 

Até aí tudo bem! Enredo interessante e com um universo vasto podendo ser explorado. No entanto, as coisas acontecem rápido demais! No seu primeiro encontro com o personagem Jace, eles esbarram enquanto o garoto caça um demônio e ele estranha o fato de ter sido visto por ela. Mais tarde, os dois voltam a se encontrar em frente a uma boate e têm uma leve discussão, porém os amigos da Clary notam que ela está falando sozinha. Ao perceber o fato, ela corre atrás de Jace, na intenção de descobrir o que está acontecendo. É aí que ela acaba se metendo em uma luta contra demônios e descobre, em seguida, sobre a sua linhagem. Normalmente, a garota estaria assustada e levaria um bom tempo até se adaptar com a mudança, porém ela parece aceitar muito rápido tudo que aconteceu, o que não me convenceu.

 

Personagens

 

shad

 

Sobre os personagens e suas atuações… A Clary é bem interpretada pela Katherine, além disso Simon Lewis, o amigo nerd da protagonista, alívio cômico da série, também é dotado de uma boa atuação por parte do Alberto Resende, já os outros… O trio de Caçadores de Sombras que ajuda a Clary é muito forçado. Um é o Jace, provavelmente seu par romântico, ao melhor estilo Jacob, um cara “durão” que quer ajudar a mocinha a todo custo. O outro é Alec, “irmão” do Jace, super preocupado com o garoto e não simpatiza com a protagonista. Pra terminar, tem a Isabelle, irmã, de fato, do Alec, e é a única que se salva nesse trio por passar uma sensação de força, de independência, que os outros não têm, além de ser linda. Quanto ao vilão, Valentine, não passa imponência, e essa característica é, um tanto, necessária a grandes vilões.

 

Resumão

 

A série é crepuscular. Isso é ruim? Pra mim sim, talvez não seja pra você, é uma questão de gosto. Mas, sendo crepuscular, ela visa mais o público adolescente, apresentando pares românticos e focando mais neles do que no próprio enredo do show. Isso acarreta, como falei acima, numa série de eventos rápidos e forçados. Você não entende bem como as coisas aconteceram, apenas sabe que aconteceram. Além disso, o programa não transmite um sentimento obscuro que o título do seriado diz, sendo apenas uma série adolescente, que dá para assistir, no mínimo, no almoço, pra passar o tempo.

 

OBS:

 

Ressalto que essa é a minha opinião baseada apenas na série. Você, leitor, pode ter uma visão extremamente diferente do show.

Concorda? Discorda? Comenta aqui.

Tweet about this on TwitterShare on Google+Share on Facebook
Veja mais!

Comente

Comente pelo site ou Facebook

  1. *