Resenha Marvel Guerra Civil 2 – Parte 3

Nerd Café 01/26/2018

Por: Antônio Teodoro (Nerd_anderthal)

Leia o texto abaixo apenas se você leu a Parte 2

images (6)

Sim! É nesta edição que finalmente a “GUERRA” propriamente dita acontece! Mas diferente de outras sagas de combate entre equipes, aqui não há equívocos ou manipulações de vilões, e sim, a vontade acima de tudo de fazer a coisa certa. Isso é o que pensa Tony Stark, isso é o que pensa Carol Danvers. E os que os seguem.

images (4)

A história deste volume começa com as consequências do julgamento e do veredicto do Gavião Arqueiro. E Brian Bendis (o autor) segue a linha de raciocínio determinista que pontilhou lá no primeiro número com a sentença do Polichinelo: de que se alguém é propenso a fazer algo, ele o fará. E deve sofrer os efeitos disso. Carol segue essa linha, ratificada pelas visões de Ulysses. E a história segue em duas frentes: Stark tentando explicar aos Illuminatis suas descobertas a respeito dos poderes de Ulysses e a prisão por Carol de Alison Green, uma banqueira acusada pelas premonições do inumano de ser uma agente de alta patente da Hidra que pretende destruir o sistema financeiro americano.

Tony explica seus argumentos os quais são refutados por Carol. Do outro lado, aparentemente, a visão falha pois a Shield não consegue provar nada contra a banqueira detida. É aí que tudo degringola! A Capitã, no melhor estilo Orwelliano, mesmo sem provas e só amparada na visão, nega os direitos de liberdade da presa, forçando Tony a mandar invadir o Triskelion e resgatá-la. Danvers dá ordem de prisão ao Homem de Ferro que obviamente recusa a se entregar, cada um encontra-se com o seu grupo simpatizante. Começa a batalha!

aHR0cDovL3d3dy5uZXdzYXJhbWEuY29tL2ltYWdlcy9pLzAwMC8xNzkvMzcwL2kwMi9DaXZpbF9XYXJfSUlfNV8yLmpwZw==

É legal ver a caracterização (ou triste, depende de como você encare isso) que Bendis dá aos personagens, a interação entre eles e a maneira como combatem. Aqui o Tony de Bendis é o Robert Downey Jr., o Rocket Racoom é o de James Gunn. Tudo nesse embate lembra o filme Guerra Civil, desde o conflito “chapa branca” onde notamos que um grupo não quer causar mal de verdade ao outro, até a “burrada” de um personagem que destrói a base dos Supremos. Nesse meio tempo, Ulysses manifesta mais um desdobramento ainda mais poderoso de seu dom e causa uma visão ainda mais aterradora que a da última edição: desta vez envolvendo o “Aranha Morales” e o Capitão América.

images (5)

Ah! Em tempo: Nessa revista também temos a continuação do arco Pós-Prólogo (partes 2 e 3) do Nick Fury (Jr.). Na edição anterior ele recebe a missão de Maria Hill para identificar uma célula terrorista da Hidra que segundo Ulysses, acabaria com a Shield. Fury descobre que esse núcleo segue uma espécie de mentor e ao confrontá-la o agente é dado como morto. Nessa edição, Nick segue o rastro de quem estava financiando os terroristas à procura da identidade desse mentor da organização criminosa.

P.S. Deixe de ouvir os “scanzeiros”, vá ler a saga e tire suas próprias conclusões.

Nota : 7,5 xícaras.

RevisãoYuri Max

Tweet about this on TwitterShare on Google+Share on Facebook
Veja mais!

Comente

Comente pelo site ou Facebook

  1. *