Houseki no Kuni – A pedra mais frágil

Fei Ting 06/25/2018

O mangá seinem de Houseku no Kuni, ilustrado e escrito por Haruko Ichikawa, começou a ser publicado na revista Gekkan Afternoon desde outubro de 2012.E trás a vida no anime em 2017, com 12 episódios pelo estúdio Orange.

Maxresdefault_(30)

Houseki no Kuni trás na trama uma nova forma de vida, chamada de “houseki”, pedras preciosas e semi-preciosas antropomórficas e imortais que possuem formas humanóides e tem níveis de dureza diferente (ex. diamante são mais duras). As housekis estão sempre em constantes conflitos entre o Povo da Lua, os “tsukijin”, que são seres que vêem à Terra para tentar levar as pedras com eles. Algumas dúvidas e enigmas surgem com o decorrer do anime sobre o que aconteceu naquele mundo tempo atrás ou sobre alguns poderes e aparecimentos de alguns personagens.

O Povo da Lua é uma grande incognita dentre os personagens, sempre que eles aparecem surge uma mancha preta, dentre os palpites é que seriam os humanos (que não existem mais),alguma entidade, anjos ou deuseus. Ou mesmo que seriam criações de da mente dos houseki.

hsk7-9-1038x576

Quem leu o mangá pode estranhar um pouco a animação pelo fato dos personagens conseguirem expressar mais as suas emoções, onde no mangá pelo fato de se tratarem de pedras essas emoções ficam um pouco de lado. Apesar de mostrar que elas são assexuadas, não se alimentam e são limitadas pela ilha onde vivem.

Trazendo uma protagonista, a Phos, a pedra mais frágil, retratando bem suas emoções e seus conflitos mentais, não apenas da personagem princial, mas de todo seu enredo. Determinando bem o porquê, função e sentimento de cada personagem. O anime veio com um estilo bastante usado pelos autores, o Cliffhangers, quando um episódio acaba no clímax. Atraindo e prendendo a audiência.

phos

Abusando bastante da computação gráfica numa mistura de 2D e 3D em seus episódios, o anime chama atenção pela beleza dos seus cenários, personagens com seus cabelos brilhantes, o visual em si é bastante bonito e chamativo. Outro fato que chama atenção são as técnicas de movimentos de câmera usados bastante inovadores, principalmente nas cenas de ação que são bastante peculiares pela forma que são guiadas.

maxresdefault

O foco do anime é a busca eterna do propósito da existência e assim se assemelhando a vida real, essa busca de continuar existindo todos os dias e nunca desistir, pois, as pedras nunca desistem e acumulando experiências mesmo perdendo partes do seu corpo nas batalhas e seguindo suas vidas e suas atividades.

O anime é bastante curioso e prende bem o expectador, é uma boa pedida pra um fim de semana. Assiste e conta pra gente.

Tweet about this on TwitterShare on Google+Share on Facebook
Veja mais!

Comente

Comente pelo site ou Facebook

  1. *