Crítica – Homem Aranha: De Volta ao Lar

Paulo Silva 07/6/2017

Em apenas um filme, a Marvel mostrou como se faz um Homem Aranha de verdade!

 

A frase acima não expõe necessariamente os erros da Sony nas várias tentativas de dar vida ao aracnídeo, mas eleva a maneira simples e concisa com a qual a Marvel o tratou em seu universo cinematográfico. O enredo tranquilo e redondo de Spider Man Homecoming nos convida a uma divertida aventura ao lado de um Peter Parker adolescente e nos poupa das desnecessárias introduções que os diretores, geralmente, insistem em fazer nos filmes de heróis.

 

Spi2

 

A trama se passa após os eventos de Guerra Civil e nos apresenta a um Parker fascinado, porém confuso ao tentar lidar com seus novos poderes, os dilemas da adolescência e o surgimento do vilão Abutre. Quanto ao vilão, vivido por Michael Keaton, ele nos é apresentado de cara, mas não pesa sobre ele a típica romantização vilanesca. Adrian Toomes é um homem normal com fortes motivações que o levaram a se tornar o Abutre e, cá entre nós, muito bem interpretado pelo experiente Keaton. Em seguida, vemos todo o deslumbre do Peter Parker indo a Berlim lutar ao lado e contra os Vingadores na briga de bairro mais épica da história – destaque para a câmera amadora que o garoto utiliza pra filmar toda a pré e pós luta, nos dando uma outra visão do ocorrido no filme do Capitão América -. Depois disso, o Aranha passa a lidar com missões que vão do micro ao macro, mas nenhuma descartável, ajudando a construir o clímax da história ao passo que nos é tirado o fôlego com a dinâmica de tais cenas.

 

As missões que vão do micro ao macro são de extrema importância para o desenvolvimento do personagem principal. Trata-se de um Peter adolescente, logo inexperiente. Aqui, vemos um Spider que erra bastante, apanha, mas sempre levanta. A maturidade do garoto está em construção, mas isso, em momento algum, acaba por saturar o público, pelo contrário, é divertido vê-lo se tornar o Homem Aranha que conhecemos.

 

Spi

 

Há pessoas que nasceram pra dar vida à certos personagens. Esse é o caso de Hugh Jackman como Logan, Robert Downey Jr. como o Homem de Ferro e, agora, Tom Holland como o Homem Aranha. O collant azul e vermelho passou por Tobey Maguire e por Andrew Garfield, mas em nenhum desses ele combinou tanto quanto no Tom. O garoto, recém saído da adolescência, transpassou com perfeição a essência do personagem, fazendo jus ao termo “amigão da vizinhança”.

 

Não dá pra deixar de falar também da fotografia super colorida, típica da Marvel e que casou muito bem com a proposta do filme. Homem Aranha De Volta ao Lar é um filme leve, feijão com arroz e que não surpreende, mas é agradável em cada detalhe, salvo uma coisinha ou duas – irrelevantes -, e perfeito pra marcar a volta do aracnídeo à sua casa. Bem vindo de volta, Aranha, e, por favor, fique por aqui!

 

Nota: 9,0

Tweet about this on TwitterShare on Google+Share on Facebook
Veja mais!

Comente

Comente pelo site ou Facebook

  1. *