As Coisas que perdemos no fogo (RESENHA)

Alrely 11/21/2018

Oi gentee!!

Terminei recentemente o livro As Coisas que perdemos no fogo e resolvi fazer a resenha pra vocês por se tratar de contos macabros. Escrito por Mariana Enriquez, publicado pela editora Intrínseca em 2017.

Sinopse: Doze histórias sombrias e amedrontadoras que mostram o horror oculto no dia a dia. Macabro, perturbador e emocionante, As coisas que perdemos no fogo reúne contos que usam o medo e o terror para explorar várias dimensões da vida contemporânea. Em um primeiro olhar, as doze narrativas do livro parecem surreais. No entanto, depois de poucas frases, elas se mostram estranhamente familiares: é o cotidiano transformado em pesadelo. Personagens e lugares aparentemente comuns ocultam um universo insólito: um menino assassino, uma garota que arranca as unhas e os cílios na sala de aula, adolescentes que fazem pactos sombrios, amigos que parecem destinados à morte, mulheres que ateiam fogo em si mesmas como forma de protesto, casas abandonadas, magia negra, mitos e superstições. Uma das escritoras mais corajosas e surpreendentes do século XXI, Mariana Enriquez dá voz à geração nascida durante a ditadura militar na Argentina. Neste livro, ela cria um universo povoado por pessoas comuns e seres socialmente invisíveis, cujas existências sucumbem ao peso da culpa, da compaixão, da crueldade e da simples convivência. O resultado é uma obra ao mesmo tempo estranha e familiar, que questiona de forma penetrante e indelével o mundo em que vivemos.

as coisas que perdemos no fogo

Faço parte do clube de leitura #LeiaMulheresRecife, e esse mês fe novembro será esse o livro a ser discutido. Muito ansiosa de minha parte corri para ler logo, principalmente por conta da sinopse que me chamou bastante atenção. A autora traz textos densos, profundos, diante de um mercado literário um pouco superficial.
É uma coletânea de contos onde o suspense e o terror são o foco da maior parte das páginas em preto e branco característicos por poder ser de pessoas reais e seu cotidiano, mas ao longo das linhas você persegue como isso é absurdo. Mariana usa um tom pesado, me fez lembrar o tipo de história de lendas urbanas, sem um desfecho ou justificativa, construídas para que possamos pensar que aquilo tenha alguma veracidade, sendo possuído pela angústia e o medo.
Os personagens parecem ter vivido aquelas situações, com desejos, temores, pensamentos e falhas humanas. Tanto suas vidas quanto suas reações aos acontecimentos ao longo de todo o livro são extremamente reais. Mariana Enriquez consegue dar credibilidade aos contos através dos personagens que se transformam diante dos olhos do leitor e assumem características surpreendentes. E suas histórias têm um ritmo ágil, sem construções grandiosas de linguagem ou exageros – às vezes o tom parece seco, mas facilita o entendimento e a leitura.

Nota: O conto que mais me chamou atenção foi o último e o mais perturbador.  Fala de mulheres que passam a ascoisasqueperdemosnofogoatear fogo em si mesmas em forma de protesto, de uma ideologia particular sobre beleza e machismo. Além deste, os detalhes assustadores como do menino acorrentado em uma casa aparentemente abandonada são incríveis, quando na verdade o foco pode ser a esquizofrenia da mulher que se mudou recentemente. Outros contos ocultam críticas sociais que se mostram ao longo de entrelinhas deturpadas de personagens e lugares.

Todos os contos se passam na Argentina, mas é uma Argentina completamente diferente daquilo que estamos acostumados. São apresentadas realidades das favelas, periferias e subúrbios esquecidos pela população rica. Parece que Mariana Enriquez pega vários estereótipos e trabalha em torno deles procurando ora reafirmá-los em forma de crítica, ora surpreender o leitor com uma alternativa chocante. É como se ela pegasse medos e anseios e o transformasse em realidade, em pequenos pesadelos, os que não estamos acostumados.
Gosto de temáticas diferentes que me façam pensar sempre fora da caixa, e esse foi um dos. É um livro pra poucos, e super indico se você gosta de suspense e lendas urbanas.
Tweet about this on TwitterShare on Google+Share on Facebook
Veja mais!

Comente

Comente pelo site ou Facebook

  1. *